quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Sustentabilidade: a captura de uma palavra (4)

Secretário de Estado da Energia critica marcas que exploram a sustentabilidade. Henrique Gomes que, segundo o Expresso de sábado passado, terá chegado a pedir a demissão, afirmou ainda que "[c]onceitos como sustentabilidade e a responsabilidade social não podem ser reduzidos à visibilidade das marcas e a vitrinas de troféus empresariais".

Aplauso pelas palavras desassombradas mas desilusão por serem, pelo menos aparentemente, inócuas na prática  governativa.

4 comentários:

André Miguel disse...

Mas a responsabilidade social não foi afinal, desde sempre, uma simples e brilhante técnica de marketing?
O conceito é em si mesmo ridículo, pois qualquer organização, Estado ou empresa, é um membro activo da sociedade, pelo que a responsabilidade social é inerente à sua actividade, não podendo ser reduzido a uma estratégia.
Portanto, sim, são palavras inócuas.

Eduardo F. disse...

Caro André Miguel,

Subscrevo integralmente o seu comentário.

Bruno Carmona disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Carmona disse...

Estive nessa conferência e se há mudança na abordagem ao sector eléctrico relativamente ao anterior governo o plano até 2020 é curto e parece-me condenado ao fracasso.

http://luzligada.blogspot.com/2011/10/plano-energetico-nacional-2020.html