quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A guerra às drogas nos EUA

No quadro figura-se a população prisional dos EUA desde 1920. Consultando o International Centre for Prison Studies, confirma-se que os níveis se mantêm no final de 2009 em cerca de 2,3 milhões de presos. Mas o que é notável neste gráfico é que a taxa de crescimento da população prisional acelera na década de 70 (Nixon declara a "guerra às drogas") e dispara acentuadamente a partir dos inícios de 1980 quando Reagan  (via George H. Bush) decide elevar o patamar da declarada guerra. O gráfico fala por si. Restará acrescentar que a população prisional americana representa cerca de 1/4 da total no mundo, quando a sua população ronda os 4% da total (dados de 2008).

Via BestOfBlogs

2 comentários:

Lura do Grilo disse...

O Eduardo tenta relacionar a perseguição à droga como a razão do aumento da população prisional. Não é para mim muito linear a relação. Antes de mais deve-se à desagregação da família tradicional que deixa os miúdos na rua e sem âncoras. Roubam e matam para comprar droga cara.

A liberalização iria trazer droga barata e os miúdos continuariam na rua para a consumir em maior quantidade: nunca menos. A tragédia social aumentaria.

Eduardo F. disse...

Caro Lura do Grilo,

Constato que temos posições muito diferentes quanto ao proibicionismo das drogas.

Em qualquer caso, é do domínio do factual que mais de metade da população nas prisões federais americanas se deve às drogas (ver, por exemplo, aqui).