terça-feira, 27 de setembro de 2011

O totalitarismo burocrático

que denota esta notícia é de tal ordem que até o Ministério Público foi obrigado a reconhecer a iniquidade que caracterizou o comportamento daquela instituição (a ASAE) que, não esqueçamos, pela voz do seu Sumo Burocrata, chegou a dizer que iria fechar metade dos cafés e restaurantes em Portugal até porque havia em Portugal estabelecimentos a mais...

Tendemos no nosso país a desvalorizarmos pessoas como o sr. Nunes que, em nome da nossa própria protecção, se permitem comportar como puritanos zelotes à moda de Alfama (ou será do Rato?) sem que percebamos os caminhos perigosíssimos que organismos como a ASAE e afins e pessoas como o sr. Nunes vêm trilhando contra a liberdade e a prosperidade (não esquecer que a ASAE depende do Ministério da Economia...).

É que a seguir ao sr. Nunes (que, curiosamente, a partir de certa altura, aí pelas imediações das eleições legislativas de 2009, deixou se ser presença regular na televisão, à parte um charuto ocasional...) só podem vir outros senhores e senhoras que se "limitam" a ir mais além que os antecessores. É por isso que a EPA (Agência para a Protecção Ambiental americana) tem a lata de vir pedir mais 230 000 (duzentos e trinta mil) novos burocratas, a um custo aproximado, só de salários, gabinetes, etc, de 21 mil milhões de dólares (!),  para conseguir controlar o cumprimento nos novos regulamentos em discussão relativos ao controlo dos gases com efeito de estufa quando a lei em vigor nem lhe reconhece autoridade para os elaborar esses novos regulamentos. É a monstruosidade burocrática-totalitária a funcionar. E chegarão aos fins que perseguem - destruir o tecido económico e a prosperidade e toda a economia - pois a eco-teocracia, de que os burocratas se auto-outorgaram o papel de sacerdotes, odeia a espécie humana que conseguiu escapar da pobreza. Tudo fazem e farão para o conseguir.

2 comentários:

prof ramiro marques disse...

Caro Eduardo F.
É para mim um mistério ver o ÁLvaro S. Pereira sem fazer nada com a ASAE. Pensei que a ia extinguir, Estou desiludido.

Eduardo F. disse...

Caro Ramiro Marques,

Infelizmente, os prognósticos iniciais confirmam-se. Tenho a certeza que Álvaro Santos Pereira faz falta à blogosfera. Com sinceridade, espero que regresse depressa.