segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Krugman: em defesa do roubo inflacionário

Como se pode ver, a coisa está a resultar:


2 comentários:

Madalena disse...

Tenho de rever a composição do índice que calcula a inflacção...será que substituiram os bens essenciais, que, se bem me lembro, tinham um peso importante na fórmula, por...peças de roupa da zara...?
É que começa a ser estranho comparar esta evolução, com os números oficiais da inflacção...

Eduardo F. disse...

Cara Madalena,

Quando os números não são bons, há uma tentação muito grande para arranjar outros melhores. Os governos são bons nisso.

John Williams mantém um site, http://www.shadowstats.com, onde compara a evolução do índice de preços ao consumidor nos EUA, tal como comunicado pelas entidades oficiais, com o índice de preços, dito alternativo, caso não se tivessem alterado as metodologias de cálculo sucessivamente desde os tempos de Carter e Reagan e sucessores. Assim, e por exemplo, vemos que a taxa de inflação actual varia entre os "oficiais" 3,5% e os não-oficiais 12%!!!

Para explicar este "fenómeno" note-se que, por exemplo, alguns "peritos" acham que quando sobe o preço do bife e as pessoas reagem passando a comer mais hambúrgueres, o facto do preço do bife ter subido não é, por si só, indicador que a inflação subiu. A isto se chama hedonismo económico. Há quem lhe chame mistificação.