segunda-feira, 4 de março de 2013

As eleições em Itália e o pânico da elite

Quando ontem anotei isto, não tinha dado conta da vergonhosa capa da Economist que a revista dedicou ao resultado das eleições italianas e que reproduzo de seguida:

 
Faço minhas as palavras de Robert Wenzel: "It's not at all clear that Grillo or Berlusconi have any idea how a currency or economy should be run, but it is always fun to see the banksters in panic.The Economist cover signals they are in serious panic".
_______________________
Nota 1: conforme se recorda no Zero Hedge, será de ter em conta que a revista The Economist é detida pelo Finantial Times, pela Cadbury e pelas famílias Rothschild, Schroder e Agnelli;

Nota 2: assim se vai reforçando a ideia da justeza do meu "divórcio" com a revista centenária cujo património os seus responsáveis (accionistas e redacção) vão destruindo.

4 comentários:

Vivendi disse...

Caro Eduardo,

Já conhece este vídeo?

Beppe Grillo leva o sistema dinheiro ao circo:

http://viriatosdaeconomia.blogspot.com/2013/03/beppe-grillo-leva-o-sistema-dinheiro-ao.html

Cumprimentos.

Eduardo Freitas disse...

Caro Vivendi,

Não, não conhecia. Obrigado pela oportunidade da referência.

JPRibeiro disse...

Deixei de ler o Economist há três ou quatro anos: propaganda pura do Blairismo e Obamanomics com um toque de liberalismo para os clientes mais business minded.
Também a mim sempre me agastou o ódio despropositado que destilavam contra Berlusconi, de facto um palhaço, mas ainda assim um palhaço bem superior ao Zapatero, Sarkozi, Barroso ou até Schroeder que eram todos acarinhados pelo pensamento politicamente correcto do Economist. Continuam a mandar-me, desta vez gratuitamente e todas as semanas, extratos dos principais temas da revista, e pela sua leitura obliqua continuo a verificar que o Economist (alias tal como o Expresso -ao nosso nível), são jornais de recados mais ou menos encomendados. Lixo.

JS disse...

*****