sexta-feira, 13 de abril de 2012

Já cá faltava

Cadilhe defende imposto extraordinário sobre a riqueza.

3 comentários:

Mendonça disse...

"A situação económica "é mais ou menos a que se esperava, tendo em conta a política de severíssima austeridade que tinha de subverter objectivos e instrumentos de estabilização anticíclica", diz Cadilhe"

Canso.me de ouvir isto em todo o lado, tdo o especialista em economia associa a situação económica com a política de austeridade, e ninguém (pelo menos até hoje nunca ouvi) vem contrariar ou explicar que isso não faz qualquer sentido.

Ora uma família pode ter uma política de despesismo a cima dos seus rendimentos, suportando-se em empréstimos (o governo). No entanto é sabido e fácil de entender para todos, que mais tarde ou mais cedo, qdo chegar a altura dos vencimentos dos empréstimos, não vai haver dinheiro para manter o estilo de vida e ao mesmo tempo pagar os empréstimos. Ora o que se faz (ou o que se deve fazer) é reduzir bastante o nível da despesa dessa família e dessa forma poder pagar os bens que decidiram necessários assim como os empréstimos e os juros associados. Enfim coisas banais.

Agora, o q é q está a prejudicar a situação económica dessa família, é a nova política de contenção para pagar os que deve ou foi a política de despesismo sem retorno que tiveram?

Parece que ninguém vê, ou quer ver, que o problema está nas contas públicas do estado, que tem despesas aveludadas na saúde, educação, segurança social e nas empresas públicas. A economia está estrangulada com impostos devido ao poder que os sucessivos governos colocaram na estado, aumentando consecutivamente a sua participação ativa na economia, chegando hoje em dia a recolher 48.5% do PIB português com despesa corrente e de capital (segundo o doc do OE 2012). Eu diria q isto é criminoso!

Voltando ao nosso Cadilho. 1º ninguém (ou quase ninguém) esperava/previu que uma crise económica aparecesse. O que os especialistas em economia sabem fazer é atribuir causas a posteriori. Pior é que nem assim acertam : A causa da situação económica é a austeridade. NÂO! Uma causa não pode vir depois da consequência, nós já não estávamos bem antes de se implementar a "austeridade" pela Troika, já se estava no fosso.

Mas a culpa é sempre do neo liberalismo... o nosso querido bode expiatório.

cumps
Pedro Mendonça

Eduardo F. disse...

Caro Pedro Mendonça,

Obrigado pelo excelente comentário que merecia ser "promovido" a post. Permite-mo?

Mendonça disse...

sim, à vontade, ficarei bastante lisonjeado até, terá mais visualização de certeza a ideia. Acho que é importante as pessoas perceberem onde realmente começou o problema. As pessoas só se queixam quando lhes estão a tirar diretamente benefícios, quando estão a usar o dinheiro delas para ajudar este e aquele, nem se pensa se realmente é preciso essa ajuda, gasta-se na saúde, gasta-se na educação, criam-se empresas para tudo e enquanto a economia (sector privado) vai dando e os juros estiverem baixos está tudo bem.

Nunca vi ninguém vir para a rua fazer manifestações contra despesismo, que mais tarde vai levar de certeza a rutura, aí sim é que se devia manter a rédia curta, mas o pessoal dos sindicatos, e verdes são os que mais apelam ao gasto nas suas ideologias, que apesar de terem boa intensão (eu pelo menos acredito assim) e acharem que estão a fazer o melhor, na verdade só estão a queimar o futuro de quem estão a defender.

cumps
Pedro Mendonça